AARN participa nesta quinta (16) de audiência de conciliação entre TJRN e Sisjern

unnamedA Associação dos Advogados do Rio Grande do Norte (AARN) está acompanhando de perto as negociações entre o Tribunal de Justiça do Estado e o Sindicato dos Servidores do Judiciário potiguar (Sisjern) por conta da greve no segmento. Na manhã desta quarta (15), a presidente da AARN, Rossana Fonseca, e o secretário-geral da entidade, Marcelo Maranhão, se reuniram com o desembargador Gláuber Rego para tratar do assunto e confirmar a participação da Associação na reunião de conciliação entre o TJ e o Sisjern, marcada para esta quinta-feira (16).
Relator da ação movida pela Procuradoria Geral do Estado (PGE) que requer a decretação de ilegalidade da greve dos funcionários do Judiciário, o desembargador Gláuber Rego reforçou aos dirigentes da AARN que fará todos os esforços para estimular o consenso na audiência de conciliação que promoverá em seu gabinete nesta quinta, com todas as partes envolvidas e ainda representantes do Ministério Público. Ele também adiantou que pretende julgar com brevidade a ação em que o PGE aponta o caráter ilegal da greve, caso o TJ e o Sisjern não entrem em acordo.
A presidente Rossana Fonseca e o secretário-geral Marcelo Maranhão salientaram para o desembargador que a paralisação no Judiciário está prejudicando a atividade advocatícia e a todas as pessoas que precisam recorrer aos serviços da Justiça. “A conduta da AARN é respeitar os direitos dos servidores, mas também a autonomia administrativa do Tribunal de Justiça do Estado. Por outro lado, não podemos deixar de externar nossa preocupação com a greve e com os prejuízos que ela vem causando tanto ao trabalho dos advogados quanto aos direitos dos jurisdicionados”, pontuou Rossana Fonseca.
O desembargador Glauber Rego convidou a AARN a participar da audiência de conciliação desta quinta. Rossana Fonseca e Marcelo Maranhão confirmaram que a entidade estará presente. “Estamos confiantes de que o TJ e o Sisjern poderão avançar para um acordo a partir desta audiência”, disse a presidente da AARN.